HAVER OU A VER?

Mais frequente do que possa parecer é a dúvida na hora de escrever certas

expressões de uso corriqueiro.

Conhecer o significado das palavras é importante, pois só assim o falante

ou escritor será capaz de selecionar a palavra certa para construir a

sua mensagem.

“A ver” e “haver” são dois bons exemplos de homófonos, termos que

são pronunciados da mesma maneira e que, exatamente por isso,

geram muitas dúvidas de grafia. A expressão que equivale a

“ter vínculo, relação” é muito comum em nossa fala; o grande problema

surge na hora de escrevê-la.

Qual das duas seria a adequada?

Típica da linguagem falada, a expressão aparece escrita das duas

maneiras.

“Haver”, sem ter o sentido de “existir”, transmite a ideia de dívida,

de que alguém precisa reaver uma quantia ou algo perdido. Por isso,

não tem nada a ver com “a ver”, que, agora sim, significa “ter

vínculo com”. Esta expressão é a simplificação de outra utilizada

antigamente: “que ver”, possivelmente modificada para adquirir uma

sonoridade mais agradável.

Quando alguma coisa tem algum tipo de relação com outra, dizemos que

ela “tem que ver” com outra, ou seja, tem algo que ver com outra. Essa é a

construção original. Com o tempo, o pronome “que” passou a alternar-se

com a preposição “a”, surgindo a expressão, hoje tão comum, “ter a ver”.

O mesmo ocorreu com construção similar, em que o verbo é o “dizer”.

A construção “não tinha nada que dizer” (cujo sentido é “não tinha coisa

alguma que dizer”) passou a alternar-se com “não tinha nada a dizer”,

hoje mais frequente. Em ambos os casos, as duas construções são

consideradas corretas (“ter que dizer” e “ter a dizer”; “ter que ver”

e “ter a ver”).

A expressão “nada a ver” tem uma forma equivalente “nada que ver”,

ou seja, “não tem relação com”.

Observe que nesse tipo de expressão não ocorre o verbo haver e sim

o verbo ver precedido da  preposição a.

Ter a ver= ter relação (com), dizer respeito (a).

Ter a haver= ter a receber.

O João não tem nada a ver com este problema – O problema não diz

respeito ao João, não está relacionado com ele.

O João não tem nada a haver – O João não tem nada para receber.

A Maria não tem nada a haver – A Maria não tem nenhuma dívida

para receber.

Esta roupa não tem nada a ver – Esta roupa não combina nada com

a ocasião.

Lembre-se:

Nada a ver é o modo correto de escrever e falar, e não nada haver.

Em seu tom brincalhão de criticar erros de Gramática, Arnaldo Niskier

diz que nada haver é que não tem nada a ver com a norma

culta”. 

Fontes:

Manual de Redação Profissional, de José Maria da Costa

http://educacao.uol.com.br/dicas-portugues

About these ads