Ortoépia e Prosódia

Nomes estranhos, não? Vamos ver do que se trata.

Ortoépia (ou ortoepia) é a parte da gramática que trata genericamente

da  pronúncia das palavras. Pronunciar incorretamente a

palavra é cometer cacoépia.

Ortoépia e cacoépia são palavras formadas por radicais gregos:

orto =  “correto“,  “certo“;  caco =  “feio”  “mau” ; épos =  “palavra“.

Da mesma forma podemos falar em ortofonia e cacofonia.

O antônimo de ortoépia é cacoépia.

É mais comum encontrarmos erros de ortoépia na linguagem popular.

Veja, a seguir, a pronúncia correta de algumas palavras:

aleijar em vez de “alejar”

advogado em vez de “adivogado” ou “adevogado”

asterisco em vez de “asterístico”

bandeja em vez de “bandeija”

beneficente em vez de “beneficiente”

cabeleireiro em vez de “cabelerero”

caranguejo em vez de “carangueijo”

cuspe em vez de guspe”

disenteria em vez de desinteria”

empecilho em vez de impecilho”

estourar em vez de “estorar”

impregna em vez de “impreguina”

iogurte em vez de iorgute”

lagartixa em vez de largatixa

mendigo em vez de “mendingo”

mortadela em vez de “mortandela”

psicologia em vez de pissicologia”

prazeroso em vez de “prazeiroso

privilégio em vez de previlégio”

salsicha em vez de “salchicha

sobrancelha em vez de  sombrancelha”

Comete-se cacoepia, também, quando se pronuncia “duplo a” para

evidenciar ocorrência de crase: “a aula iria acabar às cinco horas”,

em vez de “a aula iria acabar ‘aas‘ cinco horas”.

A prosódia é a parte da fonética que trata da correta acentuação e

entonação dos fonemas, sendo sua preocupação maior o

conhecimento da sílaba predominante na palavra, ou seja,

a sílaba tônica. Assim, cometer um erro de prosódia é,

por exemplo, transformar uma palavra oxítona em paroxítona,

ou uma proparoxítona em paroxítona. Os erros de prosódia

recebem o nome de silabada. Faz sentido, não faz?

Observe a pronúncia correta das palavras a seguir:

Oxítona – aquela em que se pronuncia com mais força a última sílaba:

cateter, condor, febril, hangar, Nobel, novel, recém, refém,

ruim, sutil.

Paroxítona aquela em que a penúltima sílaba é pronunciada

com mais força:

ambrosia, avaro, ciclope,  decano, fortuitogratuito, hifens,  ibero,

inaudito, tex, meteorito, pudico, recorde, rubrica, têxtil.

Proparoxítona – aquela em que é pronunciada com mais força

a antepenúltima sílaba:

árvore, fisofo, síndrome, íngreme, ínterim, próximo,

dico, protipo, nico, ângulo. Aqui ficou mais fácil porque

todas as proparoxítonas que pertencem à Língua Portuguesa

são acentuadas.

Algumas palavras admitem dupla pronúncia, ambas consideradas

corretas e registradas no VOLP. É o caso de ortoépia ou ortoepia,

cacoépia ou cacoepia e outras, como:

acróbata ou acrobata

boêmia ou boemia

hieróglifo ou hieroglifo

transístor ou transistor

xérox ou xerox

De um modo geral podemos dizer que a prosódia não abrange

acréscimo ou erro de letras, apenas busca localizar a

pronúncia correta; procura a sílaba tônica. Na ortoépia

consta acréscimo, deslocamento ou supressão

de letras na pronúncia das palavras.

Fontes:

Curso Prático de Gramática, de Ernani Terra
Manual de Redação Profissional, de José Maria da Costa
VOLP – Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa
1001 dúvidas de português, de José de Nicola e Ernani Terra

Anúncios